JORNAL "A CIDADE" 2007


Foto: JOYCE CURY
Os meninos de Bonfim
Legenda: LUIS AUGUSTO E LUIS GUSTAVO Violeiros precoces fãs da legítima música de raiz feita por veteranos como Tonico e Tinoco

Eles são garotos, usam chapéus e botas de caubóis, cinturões com a imagem de Nossa Senhora Aparecida, sonham ganhar a vida cantando moda de viola e são empresariados pelo pai coruja. Alguém falou em Sandy e Júnior? Errou. Zezé Di Camargo e Luciano? Passou longe.
A dupla Luis Gustavo, 10 anos, e Luis Augusto, 9, nascida e criada em Bonfim Paulista, distrito de Ribeirão Preto, pode até ter alguma semelhança com a história dos goianos filhos de Francisco, mas os irmãos Pallaretti já têm brilho próprio.
- Antes mesmo do filme ter sido lançado, eles já cantavam, garante o “patrocinador” José Augusto.

Gerações
Augusto é o autor da música “Broto de Raiz”, classificada para a eliminatória de Ribeirão do festival Viola de Todos os Cantos.
No sábado dia 4, ele sobe com os filhos no palco montado no Estádio do Botafogo para cantar a composição feita sob encomenda para a família.
“O meu avô foi violeiro, o meu pai é cantador/Eu e meu irmão, seguimos o mesmo caminho da canção/Cantando no dueto, carregando junto ao peito/A pureza da melodia, de uma viola e um violão”, declama Luis Gustavo no início da canção.
- Realmente é a história da minha família, formada por músicos de várias gerações, garante José Augusto.

Topógrafo
Cantor sertanejo desde os dezessete anos, papai José se apresentou pelos bares da vida por mais de duas décadas e chegou a gravar um LP com o amigo Platiní, com um penteado digno da dupla Chitãozinho e Xororó. Mas a carreira nunca deslanchou.
Resolveu dedicar-se a topografia, que é a leitura de terrenos para a implantação de loteamentos, e, logo em seguida, aos filhos recém-nascidos. Estes, por obra do destino, decidiram seguir os passos do pai quando mal tinham saído das fraldas. Mas dessa vez, Augusto assumiu o papel de empresário.
- Toda a minha carreira não chega nem perto do que eles conquistaram neste pouco tempo, garante.
Os garotos já se apresentaram em programas de alcance nacional como “Sabadaço”, da Band, “Viola, Minha Viola”, da TV Cultura e por três vezes cantaram no quadro “Eu e as crianças”, do apresentador Raul Gil.
Nada mal para uma dupla que gravou o primeiro disco com cinco e seis anos de idade. José Augusto garante de pés juntos que nunca forçou os garotos a nada.
- Eu me sinto realizado com esses meninos. Pra mim, é coisa de Deus, filosofa o pai.

Tristeza do Jeca
Coisa de Deus ou não, o fato é que desde cedo a dupla quis acompanhar as apresentações do pai. Em casa, brincavam de karaokê com os discos do patriarca.
Mas ao invés de entoarem o sucesso mais recente de alguma dupla sertaneja, os meninos já demonstravam uma personalidade incomum para a idade. Sabem de cor os clássicos dos veteraníssimos “Tonico e Tinoco”.
- Eles gostam mesmo de música de raiz, revela o pai, todo orgulhoso.
Nada de dor de corno ou letras de duplo sentido. Nos dois discos da dupla - o segundo, a ser lançado até o final deste ano - composições do pai ao lado de “Cabocla Teresa”, “Tristeza do Jeca”, “Chitãozinho e Xororó” e “Moreninha Linda”.
Mas purismo não dá dinheiro e o pai empresário promete algumas mudanças a partir do segundo CD.
- Nossa intenção é fazer algo na linha do Rio Negro e Solimões e Gino e Geno, informa.
Modéstia
Apesar do sucesso, os garotos são de uma modéstia sem limites. De poucas palavras, os irmãos Pallaretti não parecem nem um pouco nervosos com a apresentação no estádio Santa Cruz.
- Vou ficar feliz de ver aquele monte de gente, garante Luis Gustavo, que toca violão e faz a segunda voz.
Não é por menos. Eles já participaram da edição do Viola de Todos os Cantos no ano passado.
Os meninos já dão autógrafos pela rua e contam até com um fã-clube em Bonfim Paulista.
- Já somos bem conhecidos por aqui e muita gente pede músicas nossas nas rádios, diz o caçula Luis Augusto, violeiro e voz principal. Apesar das fãs, os irmãos juram, com um largo sorriso, que não têm namoradas.
- Por enquanto namorada, só a viola, responde o pai.

Nada de rock
Gustavo e Augusto são sempre convidados para cantar nas festas dos amigos. Mas não abrem mão do repertório saudosista.
- Eles ficam pedindo rock, mas a gente não toca, ressalta o mais velho.
A dupla ainda não cobra cachê fixo nas apresentações. De acordo com o pai, por enquanto, o importante é divulgar o trabalho.
- Hoje é muito difícil entrar na mídia. Mas onde não tem jabá, eles se apresentam, revela José Augusto.
E o que a mãe Dulcinéia Tasso acha de tudo isso?
- Fico preocupada com o futuro deles, mas dou total apoio, responde.
Tal apoio inclui a confecção de faixas para a torcida e o fretamento de dois ônibus lotados de fãs dos garotos para a apresentação de sábado em Ribeirão. Mas Dulcinéia já está acostumada com esta vida. Por anos acompanhou bravamente a carreira errática do marido.
- Quando ele parou de cantar, achei que teria sossego, mas os garotos foram crescendo e vi que não teria escapatória, brinca.

Transporte
Transcorp disponibiliza linha extra
A Transerp, empresa que gerencia o trânsito e o transporte urbano em Ribeirão Preto, informa que a permissionária Transcorp vai disponibilizar, no sábado, a partir das 18h, uma linha de ônibus extra (603 – Estádio do Botafogo F.C.) para o Festival Viola de Todos os Cantos.

Números
Festival atinge mais de 10 milhões de telespectadores
Com o objetivo de valorizar a cultura regional, a EPTV criou em 2003 o festival “Viola de Todos os Cantos”. Este ano, o festival oferece a oportunidade de levar a “música caipira de raiz” e a “música regional brasileira”, para 299 municípios, atingindo mais de 10 milhões de telespectadores.
A quinta edição teve início no dia 14 de julho com a eliminatória em Poços de Caldas. Dia 21 de julho foi em Araraquara e 28 de julho em Varginha.
Neste 4 de agosto vai ser realizado em Ribeirão Preto e 11 de agosto em Limeira. A etapa final vai ser no dia 18 deste mês, em São Carlos.

Outr
os participantes
Além dos garotos de Bonfim Paulista, participam da eliminatória de Ribeirão Preto na categoria raiz, o grupo Chapéu de Palha com a música “Na Contra Mão”. As duplas Rodrigo e Neto com a música “Distância”, Augusto e Baroni, com “Sou Igual ao Sabiá” e João Marcos e Fernando com “Coração de Sertão”.
Na Categoria Regional, Francisco Garcia Neto com a canção “O Xente May Love”. Lenard Vieira Franca, com “Serras de Minas Gerais”. Atemí Barros com “Viva! São João Chegou” e o grupo Lançaxote com “Fazenda Fortaleza”.
O evento vai ter início às 20h. Mais informações pelo site www.eptv.com.br/viola

Nenhum comentário: